Ponte Preta não sai do 0 a 0 com o Mogi Mirim


A Macaca sofreu com a vantagem física do Sapão, que colocou três bolas na trave de Edson Bastos


20/01/2013 - 18h50 | Carlos Rodrigues
carlos.rodrigues@rac.com.br


Foto: Leandro Ferreira/AAN
A Ponte Preta teve poucas chances de gol na partida diante do Mogi Mirim
A Ponte Preta teve poucas chances de gol na partida diante do Mogi Mirim

A Ponte Preta versão 2013 não agradou na impressão inicial. Neste domingo (20/01), a Macaca teve uma atuação apagada e não passou de um empate sem gols diante do Mogi Mirim, no Estádio Décio Vitta, em Americana, no jogo de estreia do Campeonato Paulista. Sentindo a falta de entrosamento e bem abaixo do adversário no aspecto físico, a alvinegra ainda pode se considerar no lucro, já que levou pressão durante quase todo o segundo tempo e foi salva três vezes pela trave.

Com quatro caras novas no time titular — Artur, Bruno Silva, Wellington Bruno e William — a Ponte levou um susto logo aos 6', em chute de Piauí que explodiu na trave esquerda de Edson Bastos. Aquela seria a melhor chance do primeiro tempo. No mais, muito equilíbrio. Embora tivesse domínio da posse de bola, a Ponte esteve pouco inspirada e raramente conseguiu passar pela forte marcação do Mogi. Pelo lado esquerdo, a Macaca insistia e foi por lá que criou sua única oportunidade, aos 25'. Uendel invadiu a área em diagonal e obrigou Daniel a fazer boa defesa.

Aos 34', o técnico Guto Ferreira foi obrigado a mudar o esquema de jogo. Rildo saiu com dores no ombro e deu lugar ao estreante Ferrugem. Sem sua principal opção de velocidade, a alvinegra caiu de rendimento. Uendel, que fazia dobradinha com o atacante, também sumiu. Responsável pela armação, Wellington Bruno não foi produtivo e a bola, praticamente, não chegou para William. Eficiente na marcação, o Mogi se aventurou vez ou outra no ataque apostando na velocidade e em bolas levantadas para a área, que também não foram aproveitadas.

Se o primeiro tempo da Ponte Preta não foi bom, a etapa final conseguiu ser ainda pior. A bola chegava até a intermediária, mas não havia evolução. Enquanto isso, o Sapão adiantou sua marcação e passou a tomar conta do jogo. Aos 8', Edson Bastos saiu mal do gol e Piauí só não abriu o placar porque pegou mal na bola. Dez minutos depois, Val acertou o travessão e Roni quase marcou no rebote.

Guto Ferreira mudou e promoveu a reestreia de Adrianinho no lugar de Wellington Bruno, mas o time não melhorou. Refém de jogadas isoladas, a Ponte teve a melhor chance em um cruzamento de Ferrugem, que William não conseguiu concluir como queria. Do outro lado, a defesa alvinegra seguiu tomando sustos e contando com a sorte. Em tentativa de Henrique, a trave foi mais uma vez aliada e evitou que o empate se transformasse em derrota.

O próximo compromisso da Ponte é na quarta-feira (23/01). Às 17h, a Macaca busca a primeira vitória diante dos reservas do Corinthians, no Pacaembu. No dia seguinte, às 19h30, o Mogi recebe a Penapolense.



Comente
Nome:      E-mail:  
Cidade:      Profissão:  
   Não divulgar meu email
Comentário:
Quantidade de toques disponíveis: 500


Comentários
  • Em 21/01 as 20h31 por:verde e branco é sua cor
    o primeiro foi o Red Bull, o segundo Mogi Mirim, o terceiro foi Corintinha e o quarto meu Bugrão.
  • Em 21/01 as 17h51 por:Junior
    É amigos... entra ano... e sai ano... e o Linense continua difícil... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
  • Em 21/01 as 10h43 por:andre batista
    ja vi tudo, tomando sufoco do mogi imagina do resto entao, fora guto ferreira tecnico de time pequeno! A ponte tem que pensar grande, ter tecnico de time grande e jogadores de time grande nao refugos!!!
  • Em 21/01 as 10h05 por:ANTI_PONTE
    0 x 0 foi lucro para o timeco da linha, que, sem preparo físico, mental e psicológico, foi facilmente dominado pelo SAPÃO. E quem tem ferrugem, não pode jogar com tempo molhado ou úmido....kkkkkk
  • Em 21/01 as 09h43 por:Ricardo
    Não vai ter jeito... Com esse técnico não vamos a lugar algum e ainda corremos o risco de sermos ameaçados pelo fantasma do rebaixamento. Até quando a diretoria vai manter esse cara no comando do time? Ele não tem esquema de jogo, não consegue adequar o time durante a partida, não tem uma jogada ensaiada, ou seja, não é técnico para a Ponte. Contrata o Vadão, o Jorginho ou outro que seja realmente técnico, não um preparador de quarta divisão.