São Paulo impõe teto de R$ 300 mil para o futebol


A decisão é do vice-presidente Ataíde Gil Guerreiro, com o aval do presidente Carlos Miguel Aidar


11/12/2014 - 18h14 - Atualizado em 11/12/2014 - 18h23 | Agência Estado
faleconosco@rac.com.br



Foto: Divulgação
O presidente Carlos Miguel Aidar (à esquerda) e o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro: Tricolor não vai mais pagar salários altos
O presidente Carlos Miguel Aidar (à esquerda) e o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro: Tricolor não vai mais pagar salários altos
O São Paulo tomou uma decisão importante na gestão de seu futebol: não pretende pagar salários maiores do que R$ 300 mil por mês. É um teto salarial de respeito para os padrões do futebol brasileiro, mas ainda abaixo do que pedem alguns jogadores mais badalados. A decisão é do vice-presidente Ataíde Gil Guerreiro, com o aval do presidente Carlos Miguel Aidar.

Ataíde garantiu que este será o valor mais alto dos novos salários do futebol do clube. "Temos um limite de R$ 300 mil. Só três jogadores superam isso atualmente no São Paulo: Alexandre Pato, Luis Fabiano e Rogério Ceni. Ninguém vai receber mais do que isso de agora em diante. Todos esses que estão falando de reforços ganham R$ 400 mil, R$ 500 mil por mês. Não vou trazer nenhum deles por isso", disse o cartola em entrevista para a Rádio Transamérica.

O teto salarial impediu o São Paulo de contratar jogadores solicitados pelo técnico Muricy Ramalho, como Cleiton Xavier, do Metalist, da Ucrânia. "O Cleiton está fora dos planos. O fato de o Muricy elogiar, como elogiou o Edu Dracena, não muda nada. Chamei e disse que não traria. Nosso time já superou a média de idade. Se é para trazer um veterano, trago o Lugano, que todo mundo adora aqui. Mas se trouxer o Lugano, a torcida acaba comigo se ele ficar no banco e eu acabo com o Toloi e o Lucão. O Cleiton é excelente, mas o salário e o contrato impedem a negociação."

O novo caminho do São Paulo é uma tendência do futebol brasileiro nesse momento, em que os clubes estão sem dinheiro e com altas dívidas. O Santos, por exemplo, deve salários a seus jogadores. O Botafogo também. Embora R$ 300 mil seja o teto, o clube do Morumbi pretende pagar vencimentos menores. O teto seria usado somente para medalhões.

O dirigente também contou que a diretoria de futebol tem o dever de revelar até quatro jogadores das bases e, por isso, vai restringir a negociação com atletas mais experientes, com mais de 30 anos.




cadastre-se e continue lendo
Este é o seu 5º acesso ao site do Correio Popular
neste mês. Para dar continuidade a suas leituras,
cadastre-se gratuitamente agora. É fácil e rápido,
basta clicar em "quero me cadastrar". Ou se preferir,
faça a sua assinatura e garanta seu acesso sem
restrições.

cadastre-se e continue lendo
cadastre-se e continue lendo
cadastre-se e continue lendo
Saiba mais.
Cadastre-se e continue tendo acesso ao melhor
e mais completo contéudo da RMC.
* NOME:
* SOBRENOME:
* E-MAIL:
TELEFONE:
CIDADE:
* SENHA:
* REPETIR SENHA:

* Campos obrigatórios


É importante que os dados a seguir sejam verdadeiros, pois antes de continuar a leitura
você deverá confirmar o cadastro através de um link que enviaremos no endereço de e-mail
preenchido. Sem essa confirmação você não conseguirá seguir a leitura. Caso tenha conta
no facebook basta clicar "cadastre-se com o facebook"

Quero receber notícias e comunicações do Correio Popular