Guarani traz empate com sabor de vitória


Com um a menos, Bugre escapa de derrota no fim contra o Oeste. Atacante Serginho perdeu um pênalti


14/02/2015 - 19h31 - Atualizado em 14/02/2015 - 21h13 | Carlos Rodrigues
carlos.rodrigues@rac.com.br



Foto: Rodrigo Villalba / Divulgação
Nunes (à esquerda) comemora o gol que marcou no empate com o Oeste
Nunes (à esquerda) comemora o gol que marcou no empate com o Oeste
Não valeu o retorno ao G4, mas o empate em 1 a 1 contra o Oeste, neste sábado (14), no Estádio dos Amaros, em Itápolis (SP), teve sabor de vitória para o Guarani. Depois de fazer um primeiro tempo irreconhecível e sair atrás no placar, o Bugre voltou com outra postura na etapa final, chegou à igualdade, mas, quando estava melhor, teve um jogador expulso. E ainda escapou da derrota no fim graças a um pênalti desperdiçado pelo adversário.

O resultado, comemorado pela equipe, deixa o alviverde com 10 pontos após cinco rodadas e na 5ª colocação do torneio. O próximo compromisso será no sábado que vem, diante do Água Santa, novamente fora de casa.
 
O jogo
 
O Guarani teve um primeiro tempo para esquecer. Atuando num gramado irregular, o time não soube se adaptar e viu o Oeste dominar a partida, principalmente utilizando a bola parada. Aos 3', Júnior Negão quase abriu o placar após cruzamento. Com dificuldade, o Bugre só chegou uma vez com perigo, aos 17', quando Cris obrigou Ricardo e fazer excelente defesa. Esse foi o único lampejo do alviverde e o Oeste logo retomou o domínio.
 
As investidas perigosas deram resultado aos 26'. Serginho fez cruzamento para a área e, após o desvio, a zaga bugrina não acompanhou e Daniel Gigante apareceu livre para abrir o placar. O gol sofrido não acordou o Guarani. Sem conseguir encaixar a marcação, a equipe seguiu dando espaços e, quando tinha a bola, não conseguia organizar o jogo e nem criar oportunidades. Muita coisa precisava mudar.
 
Segundo tempo
 
A bronca do técnico Marcelo Veiga no vestiário surtiu efeito. Insatisfeito com o
rendimento, o treinador promoveu as entradas de Cambará e Malaquias e o Guarani voltou totalmente diferente. Mais ligado, o Bugre pressionou e chegou ao empate aos 6'. Fumagalli levantou na área e Nunes aproveitou a indecisão da defesa para mandar para a rede.
 
O empate deixou o jogo aberto. Embora fosse melhor, o Bugre levou um susto aos 11', quando Neneca salvou o time em chute de Roger Gaúcho. Aos 19', os visitantes sofreram um baque. Éder Silva parou Roger Gaúcho com falta e, como já tinha o amarelo, foi expulso.
 
Com um a menos, o Guarani resolveu se defender para não correr riscos. E se segurava bem até os 39', quando Rafael Caldeira afastou errado e Watson fez pênalti bobo em Cristiano. Na cobrança, Serginho bateu mal e mandou para fora. Alívio para o Bugre, que aguentou o sufoco no fim e trouxe um ponto precioso para casa.
  
Jogadores saem contentes
 
Como não poderia ser diferente, os jogadores do Guarani deixaram o gramado do Estádio dos Amaros contentes com o empate em 1 a 1 diante do Oeste. O drama vivido pelo time na reta final do jogo, quando atuou com um a menos e viu o adversário desperdiçar um pênalti, fizeram os bugrinos considerarem o resultado como extremamente positivo.
 
“Valeu como uma vitória, até por ser um concorrente direto. Merecemos esse ponto e acho até que se estivesse 11 contra 11 o resultado poderia ser diferente”, lembrou o zagueiro Cris, em referência à expulsão do volante Éder Silva. “Diante da situação temos que comemorar esse ponto. Creio que no segundo tempo fomos melhores e poderíamos ter virado o jogo. Infelizmente a expulsão prejudicou um pouco”,
admitiu o atacante Nunes, que neste sábado voltou a marcar e anotou seu quarto gol na Série A2.
 
O técnico Marcelo Veiga comentou a atuação do time e falou sobre a melhora no segundo tempo. “O primeiro tempo foi péssimo, o time teve uma postura insegura dentro de campo. Depois, conseguimos corrigir o que estava errado”.
 
O treinador também comentou sobre a bronca dada no vestiário. “Não expliquei quase po... nenhuma, só falei besteira. Não podemos jogar desatentos como foi no primeiro tempo. Tivemos muita falta de atenção e deu em toda essa dificuldade”, pontuou Veiga.
 
Ficha técnica do jogo
 
 
OESTE 1
 
Ricardo; Waguininho, Daniel Gigante, Ligger e Zeca (João Paulo – 42'/1º); Dionísio (Pablo – 26'/2º), Igor, Foguinho e Roger Gaúcho; Serginho e Júnior Negão (Cristiano – 21'/2º).
Técnico: Roberto Cavalo
 
GUARANI 1
 
Neneca; Watson, Rafael Caldeira, Cris e Preto Costa (Cambará – Int.); Éder Silva, Thiago Carpini, Fernandinho (Coppetti – 24'/2º), Fumagalli e Adalgiso Pitbull (Malaquias – Int.); Nunes.
Técnico: Marcelo Veiga.
 
Gols: Daniel Gigante, aos 26' do 1º tempo; Nunes, aos 6' do 2º tempo.
 
Renda: R$ 8.605,00.
 
Público: 492 pagantes.
 
Local: Estádio dos Amaros, em Itápolis.
 
Juiz: Magno de Souza Lima Neto.
 
 
Cartões amarelos: Dionísio (OES); Thiago Carpini, Cris, Éder Silva, Cambará e Watson (GUA)
 
Cartão vermelho: Éder Silva, aos 19' do 2º tempo.




cadastre-se e continue lendo
Este é o seu 5º acesso ao site do Correio Popular
neste mês. Para dar continuidade a suas leituras,
cadastre-se gratuitamente agora. É fácil e rápido,
basta clicar em "quero me cadastrar". Ou se preferir,
faça a sua assinatura e garanta seu acesso sem
restrições.

cadastre-se e continue lendo
cadastre-se e continue lendo
cadastre-se e continue lendo
Saiba mais.
Cadastre-se e continue tendo acesso ao melhor
e mais completo contéudo da RMC.
* NOME:
* SOBRENOME:
* E-MAIL:
TELEFONE:
CIDADE:
* SENHA:
* REPETIR SENHA:

* Campos obrigatórios


É importante que os dados a seguir sejam verdadeiros, pois antes de continuar a leitura
você deverá confirmar o cadastro através de um link que enviaremos no endereço de e-mail
preenchido. Sem essa confirmação você não conseguirá seguir a leitura. Caso tenha conta
no facebook basta clicar "cadastre-se com o facebook"

Quero receber notícias e comunicações do Correio Popular