Triunfo sobre a Ponte Preta traz alívio ao XV


Com a vitória de 1 a 0 em cima da Macaca, o Nhô Quim deixou a zona de rebaixamento do Paulistão


30/03/2015 - 23h40 - Atualizado em 30/03/2015 - 23h48 | José Ricardo Ferreira
ricardo.ferreira@gazetadepiracicaba.com.br



Foto: Antonio Trivelin/Gazeta de Piracicaba
Desde que chegou ao XV, na 7ª rodada, o técnico Toninho Cecílio organizou taticamente e o time reagiu na A1
Desde que chegou ao XV, na 7ª rodada, o técnico Toninho Cecílio organizou taticamente e o time reagiu na A1
A vitória do XV de Piracicaba por 1 a 0 no clássico com a Ponte Preta, gol de Paulinho aos 33’ do 1º tempo, no último domingo (29), trouxe grande alívio para todos no Barão da Serra Negra. O triunfo sobre o rival tirou o time da zona de rebaixamento e hoje ele se situa na 13ª posição com 14 pontos ganhos. Porém, matematicamente, a equipe ainda não está livre da degola.
 
A chance de rebaixamento é de 14,4%, bem menor se comparada a de outras equipes que também correm risco. Porém, ela existe. Abaixo do XV há times que também buscam se livrar do fantasma do descenso.
 
Em 14ª aparece o Rio Claro, com 13 pontos; 15º Capivariano, também com 13; 16º Linense, com 13; 17º Lusa, com 12; 18º São Bernardo, com 11; 19º Bragantino, com sete. Todos com chances de fugir da degola. O Marília, último colocado, com dois pontos, já está matematicamente rebaixado para a Série A2 de 2016.
 
O XV volta a campo, nesta sexta-feira (3) diante do Audax, em Osasco, às 19h30. Jogo fora de casa e com alto risco, já que o time da Grande São Paulo ainda sonha se classificar para a segunda fase. Ele tem 19 pontos e está no mesmo grupo que a Ponte, que tem 24.
 
Dos concorrentes diretos que buscam fugir do rebaixamento, a Portuguesa recebe o São Bernardo, nesta terça-feira (31), em jogo atrasado da quarta rodada; na sexta, o Capivariano visita o São Bento, em Sorocaba; no domigo (5), o Rio Claro recebe o Bragantino, o Linense receberá o São Bernardo, a Lusa recebe o Red Bull; Rio Claro e Bragantino duelam no mesmo dia, em Rio Claro.
 
Quando o assunto é classificação para a segunda fase, o XV ainda pode sonhar. Suas chances são de 19,4%. O Alvinegro é o terceiro do grupo D. O XV torce para tropeços do Penapolense, segundo colocado na chave, com 15 pontos, nas próximas rodadas.
 
Nesta segunda-feira (30), os atletas que não atuaram ou jogaram pouco contra a Ponte trabalharam com bola no campo da usina Costa Pinto. Os que atuaram fizeram trabalho regenerativo. O time titular volta a trabalhar normalmente, nesta terça.
 
A grande baixa do time é a do atacante David Batista, que sofreu uma fratura na canela, no jogo contra o São Bento (11ª rodada) e está fora do time nessa fase final. O meia Elias estreou contra a Ponte e jogou por 15 minutos. “Ele entrou bem e ajudou na distribuição do jogo”, elogiou o treinador.

DIFICULDADES
 
Sabedor de que as dificuldades ainda existem, o técnico Toninho Cecílio afirmou que a vitória sobre a Macaca foi um passo importante para fugir do rebaixamento, mas os riscos ainda batem à porta do Barão. "Demos um grande passo, mas não consolidamos (a permanência na A1). Temos ainda duas partidas difíceis. A Ponte perdeu e o Audax também. Qual é o jogo mais importante do ano para o Audax?
 
Contra nós. Vai ser o nosso jogo, também. Está difícil, mas foi melhor ter vencido, mas tem muito confronto direto também. Até a última rodada sabíamos que seria assim", afirmou o treinador, cauteloso, após os três pontos contra a Ponte Preta.